canais-rochaA Direcção Nacional da Fiequimetal, expressando profundo pesar pelo falecimento de Francisco Canais Rocha, destaca a sua estreita ligação à acção sindical nos sectores da metalurgia e das indústrias eléctricas, bem como a sua regular colaboração, como historiador, no Jornal da Fiequimetal e no Electrão.
11.8.2014


 

Faleceu Francisco Canais Rocha

A Direcção Nacional da Fiequimetal manifesta o mais profundo pesar pelo falecimento de Francisco Canais Rocha, ocorrido ontem.
Foi um destacado combatente antifascista, sindicalista e historiador, homem de grandes convicções democráticas que dedicou a sua vida à causa dos trabalhadores.
Ainda jovem, esteve na organização e na luta do sector metalúrgico na região de Torres Novas, ficando ligado à luta reivindicativa que antecedeu a publicação do primeiro contrato colectivo de trabalho dos metalúrgicos, em 1961.
Preso e torturado pela PIDE, foi libertado em 1973, tendo de imediato retomado a sua actividade militante no então Sindicato dos Electricistas de Lisboa (hoje SIESI), onde exerceu, após o 25 de Abril e até à sua reforma, as funções de adjunto de direcção e chefe de serviços, dando um contributo e inestimável para a organização dos trabalhadores das indústrias eléctricas.
Logo após o 25 de Abril, foi o primeiro coordenador da Intersindical Nacional.
Como historiador do movimento operário deixa uma obra relevante, tendo sido colaborador assíduo da imprensa sindical, com a publicação regular de artigos no Electrão e no Jornal da Fiequimetal.
À família apresentamos as mais sentidas condolências.
    Lisboa, 11 de Agosto de 2014
    A Direcção Nacional da Fiequimetal

 

    Ver também...

    - Nota do Secretariado da CGTP-IN

«Foi com profundo pesar que a CGTP-IN tomou conhecimento do falecimento de Francisco Canais Rocha, primeiro coordenador da Intersindical, após a Revolução de Abril.
Destacado militante antifascista, sindicalista, historiador, democrata, Francisco Canais Rocha nasceu em Torres Novas em 1930. Ali exerceu as profissões de marceneiro e carpinteiro de moldes. Desde cedo membro activo da luta anti-fascista, aderiu ao MUD-Juvenil e ao PCP, tendo sido preso pela PIDE, pela primeira vez, em 1952. Foi dinamizador da luta sindical, sendo fundador da Comissão Concelhia de Torres Novas e da Comissão Distrital de Santarém do Sindicato dos Metalúrgicos. Em 1961, na clandestinidade, fez parte da delegação dos trabalhadores portugueses ao V Congresso da FSM-Federação Sindical Mundial, realizado em Moscovo. Foi o primeiro coordenador da Intersindical, eleito no plenário de sindicatos de 27 de Abril de 1974. Em Maio desse ano, é designado delegado dos trabalhadores portugueses à 59ª Conferência Internacional do Trabalho da OIT.
Licenciado em História e mestre em História Contemporânea, publicou várias obras dedicadas à história do movimento operário e sindical em Portugal, incluindo participações em trabalhos colectivos.»
    O Secretariado da CGTP-IN
    Lisboa, 10 de Agosto de 2014


    - Notícia no sítio do SIESI

    - Nota da União dos Sindicatos de Santarém

   
canais-rocha-jornal12    - Para a História do Movimento Sindical
    Artigos de Canais Rocha
    no Jornal da Fiequimetal e no Electrão