20140919Revindica-foto10Jul-6882A Direcção Nacional da Fiequimetal aponta a acção reivindicativa nos locais de trabalho como o eixo central da intervenção sindical nos próximos meses e na perspectiva para 2015. A apresentação de cadernos reivindicativos em cada empresa vai ser articulada com a negociação da contratação colectiva.
19.9.2014


As orientações para a política reivindicativa nos sectores abrangidos pelos sindicatos da Fiequimetal foram aprovadas por unanimidade pela Direcção Nacional da federação, que se reuniu no dia 18, na Marinha Grande.

A acção reivindicativa tem por principais objectivos:

- aumentar os salários;
- eliminar as discriminações;
- defender o emprego e os direitos;
- reduzir o horário de trabalho;
- melhorar as condições de vida e de trabalho;
- contribuir para a dinamização do sector produtivo nacional.

O documento sobre política reivindicativa para 2015, aprovado a 2 de Setembro pelo Conselho Nacional da CGTP-IN, define os objectivos e as prioridades da acção a desenvolver por todo o movimento sindical, face ao actual contexto, marcado pela ofensiva do grande capital contra os direitos e os interesses dos trabalhadores e do País.
Avaliando as condições para a sua concretização no âmbito da Fiequimetal, a Direcção Nacional da federação teve em conta as especificidades dos diferentes sectores de actividade, em particular as que decorrem do ataque patronal à contratação colectiva, aos salários e aos direitos, assim como os efeitos da
política de exploração e empobrecimento desenvolvida pelo actual Governo, que, conjuntamente, são responsáveis pela degradação das condições de vida e de trabalho, pela precariedade laboral e pela destruição do tecido produtivo que atinge empresas e sectores industriais.

Ver também:
- Orientações para a política reivindicativa nos sectores da Fiequimetal