edprevsalarial2017Nas negociações da revisão da tabela salarial, que se iniciaram formalmente no dia 25, os representantes da administração da EDP tiveram um discurso miserabilista, em tudo contrário ao quadro colorido que foi exibido publicamente, há pouco tempo, pelo seu presidente. Disseram querer uma negociação rápida, mas avançaram só 0,2 por cento e com reuniões quinzenais.
27.1.2017


Esperando que a posição se altere até à próxima sessão de negociação, a 8 de Fevereiro, a Comissão Negociadora Sindical liderada pela Fiequimetal acusou a administração da EDP de usar discursos diferentes, consoante o destinatário.

No comunicado distribuído nos locais de trabalho das empresas do grupo, a CNS/Fiequimetal informa que manifestou o seu desagrado por esta atitude patronal, alertando que as posições assumidas pela EDP perante os representantes dos trabalhadores não contribuem para o alegado objectivo de realizar uma negociação rápida.

Foi também com desagrado que os representantes sindicais receberam a inclusão, inédita, de um assessor exterior à empresa para integrar o efectivo da Comissão Negociadora da EDP. «Sempre fomos e sempre deveremos ser capazes de negociar sem recurso a terceiras partes», considera a CNS/Fiequimetal.

Ver também:
- Informação N.º 2 aos trabalhadores das empresas do Grupo EDP
- Proposta salarial entregue na EDP (27.12.2016)