20170224Thyssenkrupp kOs trabalhadores da multinacional alemã Thyssenkrupp Elevadores aderiram, na esmagadora maioria, à greve de hoje, por aumentos salariais justos, com um mínimo de 37 euros. Muitos participaram nas concentrações realizadas em Lisboa e no Porto. Nova jornada está marcada para 10 de Março.
24.2.2017

 

A exigência de aumentos salariais faz parte do Caderno Reivindicativo para 2017, apresentado pelos sindicatos da Fiequimetal na empresa.

Durante as concentrações que esta manhã tiveram lugar no Porto (promovida pelo SITE Norte, na Praça da Liberdade) e em Lisboa (promovida pelo SIESI, no Campo dos Mártires da Pátria, frente à embaixada alemã), foi distribuído um folheto, dirigido aos clientes e à população.

Aí se explica que a filial portuguesa da Thyssenkrupp obteve, em 2016, lucros superiores a seis milhões de euros. No entanto a administração tenta impor uma política de baixos salários, condicionados a avaliações de desempenho e com uma tentativa de iludir os trabalhadores com valores médios, o que aumenta o fosso salarial. Os trabalhadores e os sindicatos estão manifestamente contra esta situação.

Os representantes dos trabalhadores da empresa, na Alemanha e em Espanha, juntamente com os representantes dos trabalhadores no Comité Europeu de Empresa, manifestaram solidariedade e apoio às acções de luta desenvolvidas por melhores salários e condições de trabalho.

No dia 10 de Março, os trabalhadores voltam a fazer greve e manifestam-se à porta dos serviços centrais da empresa, em Massamá, caso a postura intransigente da administração se mantenha.

 

Ver também:
- Folheto aos clientes e à população
- Nota de imprensa e comunicado aos trabalhadores sobre os motivos da greve
- Notícia na Record TV

 

 

Neste vídeo da União dos Sindicatos do Porto são registados momentos da concentração de trabalhadores da Thyssenkrupp Elevadores, em greve, hoje, na Avenida dos Aliados

 

 

 

 

Algumas fotos das concentrações