20170301EDPsede-arquivoA Fiequimetal e os sindicatos filiados promovem na quinta-feira, dia 2, a partir das 15 horas, uma concentração de trabalhadores da EDP, junto à sede desta, como forma de chamar a atenção para a contradição entre os chorudos resultados anuais, que ali vão ser apresentados, e os valores de miséria que a administração tem apresentado na negociação salarial.
1.3.2017


Os lucros que a EDP vai apresentar amanhã, como se salienta na nota de imprensa em que a Fiequimetal anuncia a concentração, foram obtidos à custa da exploração dos trabalhadores e das altas tarifas cobradas aos consumidores.

Nas negociações para a revisão da tabela salarial, que decorrem desde 25 de Janeiro, a EDP tem proposto aumentos irrisórios, tratando os trabalhadores como um custo indesejável, como se não fossem eles os protagonistas da criação de riqueza.

Esta posição foi evidente na última reunião de negociação, a 22 de Fevereiro, onde a Administração tentou criar um clima de receio e de ameaças, para forçar os representantes dos trabalhadores a aceitarem a miséria que lhes foi proposta.

A Fiequimetal, os sindicatos e os trabalhadores da EDP repudiam esta atitude da empresa e vão apresentar os seus argumentos durante o protesto que vai ter lugar, no dia 2, a partir das 15 horas, junto à sede da empresa (na Rua D. Luís 1.º, frente ao nº 12).

Ver também:
- Nota de imprensa, com contacto para declarações