20151214PetrogalGreveNo mesmo dia em que foi anunciado que os sete membros da comissão executiva da administração receberam em 2016 mais de oito milhões de euros, a Comissão Sindical Negociadora deu seguimento à decisão dos plenários realizados na semana passada e marcou acções de luta pela defesa dos direitos, das reformas, da saúde e da contratação colectiva.
13.4.2017



Num comunicado aos trabalhadores da Petrogal (Grupo Galp Energia), a Fiequimetal informou que foi decidido, de imediato, avançar com:

- concentração e manifestação, dia 24 de Abril, em Lisboa (na administração, no Ministério do Trabalho e na Entidade Supervisora de Fundos de Pensões);

- greve, a realizar de 6 a 10 de Maio;

- uma acção de protesto junto do Ministério do Trabalho, de 6 a 10 de Maio, pelo direito de greve e em defesa da contratação colectiva. 

Além de protestar contra a infâmia da ganância e da imoralidade, numa situação em que cresce a riqueza distribuída aos accionistas, a par dos atentados aos direitos e à dignidade dos trabalhadores, a federação denuncia ainda a cobertura de sucessivos governos à actuação patronal, quer do ponto de vista da política realizada, quer com actos concretos, como os despachos anti-greve.

Ver também:
- Comunicado aos trabalhadores da Petrogal (Galp Energia)
- Resposta de luta decide-se na Petrogal (30.3.2017)