20170407Parmalat-arquivoCom elevada adesão, a greve dos trabalhadores na unidade da Parmalat Portugal em Águas de Moura (Palmela) por aumentos salariais deverá ter uma resposta patronal na reunião que o SITE Sul solicitou para depois do 1.º de Maio. A eventual continuação da luta será decidida em plenários.
27.4.2015


Os trabalhadores pararam nas primeiras quatro horas de cada turno, desde as 21 horas do dia 23 às 21 horas do dia 26, para exigirem aumentos salariais justos,  mais um dia de férias e integração do prémio de assiduidade no salário.

As pressões e chantagens que a empresa fez não impediram a participação dos trabalhadores nesta justa luta. Numa nota à imprensa, o sindicato informou que a forte adesão à greve causou perturbações significativas na laboração e produção da fábrica.

Os trabalhadores realizaram concentrações à porta da empresa no início de cada turno.

O SITE Sul solicitou à administração da Parmalat Portugal uma reunião para o próximo dia 5 de Maio, com o objectivo de continuar as negociações. Vão ser convocados plenários de trabalhadores, a seguir, de forma a ser analisada a resposta da empresa e decidir outras formas de luta, se for necessário.

Ver também:
- Nota de imprensa do SITE Sul
- Responder com greves para demover Parmalat (7.4.2017)
- Confirmadas greves na Parmalat (21.4.2017)