20170508Petrogal-PortoIniciada dia 6, a greve na Petrogal (Grupo Galp Energia) ganhou ainda mais força nos dias 7 e 8. Na refinaria do Porto, o nível de adesão manteve-se entre 80 e 90 por cento, com a produção reduzida ao mínimo desde o primeiro turno do período de greve. Em Sines, todas as três fábricas estão paradas desde dia 7 e, ontem, não foi feito qualquer abastecimento de navios e camiões-cisterna.
9.5.2017



Na refinaria do Porto (em Leça da Palmeira, Matosinhos), algumas empresas de sub-empreiteiros decidiram mandar os trabalhadores para casa, ontem, com a indicação de que regressassem após o final da greve.

Compromisso do Governo
Numa reunião realizada ontem de manhã, com uma delegação da Fiequimetal, o secretário de Estado do Emprego assumiu o compromisso de juntar as partes, com vista à resolução do conflito. Perante esta decisão, a federação suspendeu a acção que estava prevista para o exterior do Ministério do Trabalho.

 

ACT publicado

Foi publicado ontem, no Boletim do Trabalho e Emprego, o novo Acordo Colectivo de Trabalho (revisão global) do sector das petrolíferas privadas, do qual são signatários, entre outros, a Fiequimetal e Petrogal.

- Obter ACT das Petrolíferas Privadas

Ver também:
- Vídeo da União dos Sindicatos do Porto
- Greve na Petrogal arrancou em força (6.5.2017)