20170731Delphi-arquivoO SIESI contesta a intenção de generalizar os «horários concentrados», que podem representar jornadas de trabalho de 12 horas, na fábrica da multinacional Delphi no Seixal, avisando que os trabalhadores não devem assinar nada que respeite a esta matéria nem aceitar «tacitamente» este regime. Qualquer pressão ou ameaça deve ser repudiada e comunicada aos delegados sindicais.
31.7.2017



O sindicato, analisando uma reunião efectuada com os trabalhadores, conclui que a administração apenas comunicou aquela intenção, procurando que os horários concentrados sejam acatados mesmo sem acordo formal.

Mas a empresa não pode impor este regime aos trabalhadores que não estão actualmente a efectuar horários concentrados. O horário de trabalho não pode ser alterado unilateralmente.

Uma «adenda» assinada também não serve para essa imposição. Aos associados do SIESI ela só pode ser aplicada por acordo individual do trabalhador e num período limitado. Sindicalizados no SIESI ou não, os trabalhadores não devem assinar nada e muito menos entrar nesse regime horário de modo tácito.

Paula Sobral, dirigente do sindicato e da Fiequimetal, em declarações a um portal de notícias, explicou que um horário de trabalho de quatro dias a laborar 12 horas, seguindos de três dias de descanso, acarreta graves consequências, designadamente:

- os dias de trabalho podem calhar ao fim-de-semana, que deixa de ser pago como trabalho extraordinário;
- pode aumentar a propensão para doenças profissionais;
- provocará uma maior instabilidade na vida pessoal e familiar.

Ver também:
- Nota no sítio do SIESI
- Notícia no sítio AbrilAbril