20170731AdTA-arquivo-caneiro-alcantaraA Comissão de Trabalhadores da EPAL expressou ontem a sua solidariedade para com os trabalhadores da Águas do Tejo Atlântico, apelando a uma forte adesão à greve que estes vão realizar no dia 14, segunda-feira, pela uniformização de condições de vida e de trabalho nas empresas do Grupo Águas de Portugal.
9.8.2017


Para a CT da EPAL, são justas as reivindicações apresentadas, designadamenta quanto a:

- Uniformização do subsídio de transporte para 99,74 euros
- Uniformização do subsídio de refeição para 7,07 euros
- Uniformização do subsídio de prevenção para 2,23 euros/hora
- Atribuição do subsídio de turno de 8,3%.

Estes valores, salienta a CT, representam as quantias e percentagens já praticadas no Grupo AdP, mas que abrangem apenas alguns dos trabalhadores. A própria CT tem estado presente nesta batalha, denunciando práticas de discriminação nas empresas do Grupo AdP, à revelia do estabelecido na Política Remuneratória deste e em desrespeito pela primazia da contratação colectiva e pelos princípios de ética, transparência e justiça social, propalados pelo Grupo tantas vezes quantas as que os meteu numa gaveta.

A CT considera que esta luta dos trabalhadores da AdTA assenta em muitas conquistas concretizadas ao longo de vários anos, no seio das empresas do Grupo AdP, e a sua concretização constitui um passo determinante para a uniformização das condições contratuais, remuneratórias e de trabalho nas empresas de todo o Grupo.

Ver também:
- Comunicado da CT da EPAL
- Marcada greve na Águas do Tejo Atlântico (31.7.2017)