20170905RenaultCaciaNem a estranha recusa de entrada de uma delegação da Fiequimetal e de federações congéneres da França e de Espanha conseguiu impedir que os representantes sindicais, oriundos de empresas do Grupo Renault, contactassem os trabalhadores da Renault Cacia.
5.9.2017


Com todas as garantias prévias de realização de plenários para discutir com os trabalhadores a situação da filial portuguesa e do Grupo Renault, a delegação foi informada, no dia 4, segunda-feira, de que não era permitida a visita dos representantes da nossa federação e da CGT (França) e das CCOO Indústria (Espanha), alguns dos quais são membros do Comité do Grupo Renault.

Mesmo assim, no período entre as 12 e as 15 horas, a  delegação esteve na entrada da fábrica, a distribuir uma posição conjunta das três federações, a ouvir as preocupações dos trabalhadores e a manifestar a sua solidariedade. Ficou assumido o compromisso de, nos vários locais de trabalho e junto da direcção central da Renault, dar conhecimento da arrogância da direcção desta fábrica. Também ficou garantido que as federações vão manter a intransigência na defesa dos direitos laborais, pessoais e familiares de todos os trabalhadores.

Ver também:
- Comunicado das três federações
- Comunicado do SITE Centro-Norte
- Nota de imprensa da União dos Sindicatos de Aveiro
- Sindicatos lamentam recusa de acesso à Renault Cacia (Terra Nova, 5.9.2017)