20171222ARMadeiraOs trabalhadores da Águas e Resíduos da Madeira devem continuar unidos na luta por um acordo de empresa que sirva os seus interesses e a melhor forma de o fazerem estarem sindicalizados no SITE CSRA. Assim, têm a garantia de que um acordo prejudicial não lhes vai ser aplicado e dão mais força ao seu sindicato nas negociações para um AE com melhores condições.
29.12.2017


Num comunicado, em distribuição desde ontem na empresa, sobre a última reunião negocial e a acção de protesto de dia 22, no Funchal, o sindicato destaca que a união demonstrada pelos trabalhadores permitiu derrotar o objectivo da administração. Os representantes sindicais recusaram subscrever um texto de AE que não negociaram e que, como disse a administração, iria ser assinado com outros.

Perante esta recusa, e para que a negociação do AE acelere, já que existe muita matéria para discutir, ficaram marcadas quatro sessões de negociação para os dias 10, 11, 29 e 30 de Janeiro.

O outro acordo não se aplica aos sindicalizados no SITE CSRA. Nesse documento, estão contempladas matérias que desde a primeira hora os trabalhadores recusaram. Quanto a conter «melhorias» (como a redução do horário de trabalho e os 25 dias de férias para os trabalhadores abrangidos pelo Código do Trabalho), o sindicato lembra que, pela sua influência, estas já estão implementadas na ARM desde Julho.

As restantes «melhorias» referidas pela administração não passam de ilusão, já que os trabalhadores, a troco do aumento do valor pago pelo trabalho extraordinário e do subsídio de turno para dois turnos, ficam amarrados a bancos de horas e adaptabilidades de horários, entre outros deveres que não são compensados com os valores atrás referidos. A administração, se tiver a possibilidade de aplicar banco de horas, até poderá pagar o trabalho suplementar a 300% porque o mesmo será residual ou mesmo inexistente.

Os trabalhadores devem permanecer vigilantes e não devem assinar nenhum documento que tenha por objectivo aceitar que lhes seja aplicado aquilo que, nas suas costas, outros assinaram.

Ver também:
- Comunicado do SITE CSRA
- Moção aprovada no plenário geral de 30 de Novembro
- Exige-se que aumentem os salários na ARM (23.12.2017)