20180103EFATM Sines arquivoOs cerca de 250 trabalhadores do consórcio que assegura a manutenção na refinaria de Sines têm mais uma vez os seus postos de trabalho ameaçados, depois de lhes ter sido comunicado pelas suas entidades patronais que decidiram pôr termo ao contrato com a Petrogal a partir de 12 de Fevereiro. O SITE Sul está a organizar a luta em defesa do emprego.
4.1.2018

 

Nas cartas que enviaram aos trabalhadores, a EFATM, ATM, CMN e AC Services alegam que não consideram viável manter o negócio, devido aos baixos preços impostos pela Petrogal. São também afectados trabalhadores contratados através da Globaltemp.

Numa nota ontem divulgada à comunicação social, o sindicato reafirma que todos estes trabalhadores ocupam postos de trabalho permanentes.

Há cerca de 30 anos, a Petrogal acabou com parte da manutenção mecânica e eléctrica na refinaria e passou a realizar este serviço - uma necessidade permanente - com recurso a trabalhadores sujeitos a vínculos precários, através de empresas ditas de prestação de serviço. Estas, por sua vez, subcontratam trabalhadores a terceiras, inclusive a empresas de trabalho temporário.

O SITE Sul considera que estamos perante postos de trabalho permanentes e necessários todos os dias, preenchidos com contratos de prestação de serviço precários, entre a EFATM (cujo maior accionista é o Grupo Mello) e uma série de outras empresas subcontratadas, algumas delas de cedência de trabalhadores e de trabalho temporário (como a Globaltemp). Isto acaba por se reflectir de forma violenta nos trabalhadores e seus direitos, nomeadamente o direito constitucional ao trabalho.

As empresas procuram fugir ao cumprimento de direitos dos trabalhadores, como a remuneração correcta do trabalho suplementar, o pagamento do subsídio de refeição ou o gozo de férias, e até os recibos de vencimento suscitam constantemente dúvidas e interrogações.

 

Plenário dia 9

Os trabalhadores do consórcio de manutenção vão reunir-se em Plenário Geral, à porta da refinaria, na próxima terça-feira, dia 9, a partir das 8h45, para decidirem formas de luta. Como objectivos, o sindicato indica: a defesa de todos os postos de trabalho; que todos os trabalhadores sejam reconhecidos pela Petrogal e pela EFATM como efectivos, a ocupar postos de trabalho permanentes; e que a Petrogal termine com a contratação de empresas de trabalho temporário.

 

Ver também:
- Nota de imprensa do SITE Sul