20180402 REN revisao2018Com lucros de 126 milhões de euros em 2017, dos quais se propõe dar aos accionistas 90,6 por cento, ou seja, mais de 114 milhões, a REN não quer valorizar o esforço dos seus trabalhadores, com um aumento salarial mais justo e condigno, e deu por encerradas as negociações da revisão da tabela.
21.4.2018



Na reunião que teve lugar no dia 19, a comissão negociadora sindical liderada pela Fiequimetal reafirmou a sua disponibilidade para chegar a acordo na revisão da tabela salarial para 2018, desde que a comissão negociadora da REN apresentasse uma proposta consistente, valorizando assim o papel dos trabalhadores.

Estes foram os verdadeiros obreiros dos lucros alcançados pelo Grupo REN, que atingiram 125,9 milhões de euros em 2017, mais 25,7 por cento do que no ano anterior. A Fiequimetal defende que estes resultados devem ser reflectidos nos aumentos salariais.

A CN/REN apresentou uma proposta insuficiente e, mostrando uma intransigência total, afirmou unilateralmente que dava como terminadas as negociações e que iria aplicar a todos os trabalhadores um aumento de 1,4 por cento nas bandas salariais da REN e nas BR e Letras da tabela salarial da REN Portugás.

As outras matérias pecuniárias serão também aumentadas na mesma percentagem. Será ainda pago um prémio de 200 euros e será feita nos moldes habituais a distribuição de resultados.

A federação salienta que se trata de uma empresa que apresenta lucros da ordem dos 126 milhões de euros e que se propõe dar aos accionistas 90,6% desse valor (mais de 114 milhões de euros), mas não quer valorizar o esforço dos seus trabalhadores, aplicando um aumento mais justo e condigno.

Recusando compactuar com posições destas, a CNS/Fiequimetal não subscreveu qualquer acordo sobre revisão salarial na REN para 2018.

Ver também:
- Comunicado da CNS/Fiequimetal
- Lucros da REN devem valorizar salários (9.4.2018)