20191107RenaultCaciaOs dias 7, 10 e 12 de Novembro foram de luta e greve na Renault Cacia, sempre com elevados níveis de adesão dos trabalhadores e grande mobilização nos piquetes de greve, assinalou o SITE Centro-Norte.
13.11.2019

Estes fora três dias de forte adesão à greve, salienta o sindicato, numa nota de imprensa ontem emitida e na qual comenta que, se dúvidas houvesse, da parte da Direcção da empresa, sobre a unidade dos trabalhadores na defesa dos seus direitos, estas ficaram totalmente dissipadas com a resposta massiva dos trabalhadores.
Em todos os dias a adesão à greve rondou os 90% na produção, o que reflecte o descontentamento dos trabalhadores e deve merecer a alteração de procedimentos por parte da administração.
É fundamental que a administração perceba os sinais que esta adesão à greve transmite e perceba que é tempo de valorizar quem mais contribui para a criação de riqueza na empresa. Há necessidade urgente de melhorar as condições de trabalho, acabar com as pressões e assédio aos trabalhadores, assim como aumentar os seus salários.
O sindicato assegura que a luta vai continuar. Na sequência desta greve irão ser realizados novos plenários para definir os moldes em que essa continuação se vai concretizar.


Ver também

- Nota do SITE CN à comunicação social, com contactos para declarações
- Vídeo do SITE CN, com algumas imagens da greve

- Greve na Renault Cacia em Aveiro com adesão de 90% (TVI, 12.11.2019)
- Trabalhadores da Renault Cacia em greve contra pressão (Lusa em Notícias ao Minuto, 7.11.2019)
- Três dias de greve intercalados na Renault Cacia em Aveiro (SIC, 7.11.2019)

- Forte adesão à greve mostra união na Renault Cacia (7.11.2019)