20191223BaixoSabor arquivoVai realizar-se amanhã, dia 15, pelas 17 horas, nas instalações da Secretaria de Estado da Energia, a reunião solicitada ao Governo pela Fiequimetal, para abordar a alienação pela EDP das concessões de exploração de seis centrais hidroeléctricas na bacia do Douro.
14.01.2020

 

Ainda antes do Natal, após mais uma série de notícias sobre o negócio pretendido pela administração da EDP, a Fiequimetal solicitou esta reunião, a fim de questionar a posição do Executivo sobre a alienação de «activos» que são parte importante da soberania energética do País.

Há poucos dias foi noticiado que a EDP ainda não formalizou junto do Ministério do Ambiente e da Acção Climática o pedido ao Estado-concedente para a venda da sua posição como concessionária da exploração das seis centrais.

O negócio, avaliado em 2,2 mil milhões de euros, tem sido amplamente noticiado, como se já estivesse fechado e como se a EDP estivesse a vender barragens suas, quando afinal se trata de alienar concessões do Estado para a exploração das barragens.

Amanhã iremos reiterar que o Governo não deve autorizar esta alienação das concessões, uma escandalosa operação que deixaria o País ainda mais dependente, do ponto de vista energético, porquanto o centro de decisão passaria para as mãos de um consórcio francês, formado pela Engie, Crédit Agricole Assurances e Mirova.

Note-se que se trata de um recurso renovável, numa altura em que é necessário traçar alternativas para os anunciados encerramentos das centrais a carvão.

A este propósito, e ainda que não conste da agenda restrita da reunião, vamos procurar que o Governo aceite a nossa reivindicação nesta matéria, suspendendo as datas previstas para o encerramento das centrais no Pego e em Sines, até que existam alternativas de produção, de defesa do emprego e da economia, a nível local e nacional.

No final da reunião, a delegação da Fiequimetal estará disponível para prestar declarações à comunicação social.

 

Ver também
- Governo deve impedir alienação das hídricas (23.12.2019)
- Reunião com o Governo sobre sector energético (14.11.2019)