20200409Legrand arquivo Dada a gravidade da situação, o SIESI solicitou uma inspecção da ACT na Legrand Eléctrica para garantir melhores condições de trabalho. A empresa até recomendou aos trabalhadores que fossem de casa «pré-equipados»!
9.4.2020

 

A interdição da utilização dos equipamentos da copa (principalmente o microondas) e das máquinas de vending de comida e bebida e uma recomendação para que os trabalhadores viessem de casa «pré-equipados» são medidas desadequadas e excessivas, referidas num comunicado do SIESI.

O sindicato afirma que tais medidas prejudicam seriamente o bem-estar dos trabalhadores da Legrand e algumas delas não só não minimizam os riscos de contágio como até vão em sentido contrário às orientações da Direcção-Geral da Saúde.

Os trabalhadores não devem estar impedidos de ter acesso a uma refeição quente, salienta o sindicato, notando desconhecer qualquer orientação das entidades competentes que se enquadre nesta norma. Nem tão pouco há conhecimento de outra fábrica onde tenha sido colocada esta situação em Portugal.

A interdição das máquinas de vending é excessiva, porque os alimentos vêm pré-embalados e não há dados que indiquem que representam um risco de contágio.

A empresa aconselha que os trabalhadores comam uma refeição quente, vinda de take-away, mas está é uma solução dispendiosa e também não exclui riscos de contágio.

O SIESI entende que deve ser feita uma maior desinfecção dos microondas, para permitir o seu uso, à semelhança das medidas de limpeza que a direcção da Legrand tomou noutras áreas.

O aconselhamento ao «pré-equipamento» (sair de casa já fardado e evitar tomar duche) vai contra diversas orientações da DGS. Aliás, esta prática aumenta ainda mais o risco, uma vez que o trabalhador, ao entrar e sair fardado, aumenta o contacto com outras pessoas, dentro e fora da empresa.

 

Ver também
- Comunicado do SIESI