20170914Autoeuropa-arquivoA retribuição dos trabalhadores em regime de lay-off será assegurada a 100 por cento, incluindo o subsídio de turno, mas o facto é que, mesmo assim, a maior fatia dos salários será suportada pela Segurança Social, assinala o SITE Sul, num comunicado sobre uma reunião com a administração da VW Autoeuropa, realizada hoje.
14.4.2020

 

Representantes da Comissão Sindical do SITE Sul na empresa e o coordenador do sindicato reuniram-se com representantes da administração da VW Autoeuropa esta manhã.

No comunicado, são referidas as matérias abordadas na reunião.

 

Aplicação do lay-off simplificado

A interrupção das cadeias de fornecimento de componentes para a produção, a suspensão ou cancelamento de encomendas e a queda da facturação, superior a 40 por cento neste período, foram os motivos apresentados pela administração para justificar o recurso ao lay-off simplificado a partir da próxima segunda-feira, dia 20.

O sindicato questionou o motivo pelo qual a administração não recorreu a «down days», visto que o lay-off vai contribuir para descapitalizar a Segurança Social.

Da parte da Administração, como se informa no comunicado, foi transmitido que esta solução não seria viável, pois até ao final do ano será necessário recorrer a mais «down days» para fazer face a outras eventualidades.

A retribuição dos trabalhadores em regime de lay-off será assegurada a 100 por cento, incluindo o subsídio de turno (25 ou 15 por cento).

A administração confirmou ainda que a paragem no Verão, de quatro semanas, se mantém inalterada.

No entanto, mesmo com o pagamento da retribuição a 100% garantido, a maior fatia dos salários dos trabalhadores em lay-off caberá sempre à Segurança Social suportar - frisou o sindicato.

 

Medidas de segurança e saúde

A administração apresentou um conjunto de medidas que pretende implementar, aquando do arranque da produção, as quais serão atempadamente comunicadas aos trabalhadores.

Estas medidas têm como base as que foram tomadas nas fábricas do Grupo VW na China e outras regiões do mundo, e dizem respeito, nomeadamente, aos autocarros, acessos à fábrica na entrada e saída, medição da temperatura, roupa (fardamento), balneários, refeitórios, refeições, equipamentos de segurança individuais, horários de trabalho e pausas.

O SITE Sul apresentou propostas no sentido de melhorar algumas destas medidas.

O arranque da produção está previsto para 27 de Abril, de forma progressiva, com horários e capacidades de produção reduzidas até previsivelmente à semana 23 (1 a 7 de Junho).

 

Contratos a prazo e temporários

O Sindicato transmitiu a sua preocupação em relação aos trabalhadores com contratos a prazo e temporários, defendendo a manutenção de todos os postos de trabalho.

Neste momento, segundo a administração, não estão em causa quaisquer postos de trabalho de trabalhadores contratados a prazo pela VW Autoeuropa.

Em relação aos trabalhadores temporários, contratados pela Autovision People, foi dito que também estarão em regime de lay-off (suspensão do contrato de trabalho) pela empresa VW Group Services. No entanto, viram os seus contratos rescindidos quer os que estavam a atingir dois anos de serviço, quer os que estavam a substituir quem esteve de baixa.

O sindicato reafirmou o que sempre tem dito e transmitiu à administração que todos os postos de trabalho deveriam ser salvaguardados, ou seja, mantidos no presente e no futuro.


Ver também
- Comunicado do SITE Sul aos trabalhadores da VW Autoeuropa
- VW Autoeuropa não precisava mas recorre ao lay-off (9.4.2020)