20200219Sines inicio plenario A elevada precariedade laboral está a provocar uma calamidade social, com o despedimento de várias centenas de trabalhadores no complexo industrial de Sines. O SITE Sul exige que todos tenham acesso ao subsídio de desemprego e convocou para segunda-feira um plenário.
2.5.2020

 

Num comunicado que distribuiu na semana passada, o sindicato reiterou total apoio à luta e reafirmou que estará sempre ao lado dos trabalhadores do complexo industrial, na sua organização para a necessidade de continuarmos a lutar contra os despedimentos, pela reintegração de todos os trabalhadores e por salários justos.

O sindicato lembra que, no início da crise desencadeada pelas respostas à COVID-19, alertou as autoridades para a calamidade social que representaria o despedimento de centenas de trabalhadores, tendo sido contabilizados cerca de 600, mas são muitos mais. O Centro de Emprego de Sines registou um aumento, sem precedentes, de 700 pedidos de emprego, porém haverá muitos mais, que nem sequer terão direito a subsídio de desemprego.

Há uma manifesta urgência de que todos os trabalhadores, sem qualquer excepção, sejam abrangidos pelo subsídio de desemprego, exige o SITE Sul.

É dirigida uma saudação a todos aqueles que, em conjunto com o sindicato, iniciaram o processo de organização dos trabalhadores do complexo industrial, com dois plenários de protesto, no Salão da Música (a 19 de Fevereiro) e junto à portaria principal da refinaria de Sines (a 3 de Março). Outra iniciativa havia ficado decidida para dia 3 de Abril, mas foi entretanto adiada em face da contingência de combate à pandemia.

Um novo plenário está marcado para dia 4, segunda-feira, em Sines, no Jardim das Descobertas, junto ao coreto, às 17h30, com cumprimento das regras sanitárias em vigor.


Ver também
- Comunicado do SITE Sul aos trabalhadores das empresas do complexo industrial de Sines
- Prossegue luta na manutenção com plenário amanhã em Sines (2.3.2020)