20201105HanonA administração da Hanon, em Palmela, não respondeu às reivindicações dos trabalhadores e impediu dirigentes sindicais de entrarem anteontem na fábrica. Os plenários realizaram-se, mesmo com os dirigentes no exterior, e foi reafirmada a decisão de fazer greve entre 9 e 13 de Novembro.
7.11.2020

 

Num comunicado conjunto, o SIESI e o SITE Sul afirmam que a administração da Hanon convive mal com a Constituição, particularmente com os artigos que se prendem com os direitos dos trabalhadores!

Dirigentes do SIESI e do SITE Sul foram impedidos de entrar na empresa, no dia 5 de Novembro, para realizar os plenários das 14h30, 16h45, 18h00 e 01h15.

Confrontados com esta situação ilegal, só possível de se enquadrar no desespero da administração da Hanon face à unidade e luta dos trabalhadores em defesa das suas reivindicações, a GNR foi chamada ao local pelos dirigentes sindicais. Os agentes levantaram o respectivo auto e foi apresentada participação junto da Autoridade para as Condições do Trabalho.

As direcções do SIESI e do SITE Sul saúdam a postura dos trabalhadores, que não baixaram os braços, não abdicaram do seu direito de reunião e participaram nas reuniões agendadas, mesmo com os dirigentes sindicais fora das instalações da empresa.

Também por este episódio, os sindicatos apelam a que, ainda com mais força, todos os trabalhadores participem nas greves. Nos plenários foi decidido realizar paralisações de duas horas por turno, de segunda a quinta-feira.

Na sexta-feira, 13 de Novembro, a greve será total (oito horas por turno).


Ver também
- Comunicado do SIESI e do SITE Sul (6.11.2020)
- Lutas no sector FMEE impulsionam reivindicações (24.10.2020)