20201217Leica lutaOs trabalhadores da Leica, organizados no SITE Norte, juntamente com dirigentes, delegados e activistas sindicais, realizaram esta tarde uma acção, em frente às instalações da empresa, para exigirem protecção no trabalho, aumento dos salários e garantia dos direitos, e também para denunciarem o assédio moral e a discriminação salarial.
17.12.2020


Ao longo dos últimos anos a administração da fábrica de aparelhos ópticos de precisão, instalada em Vila Nova de Famalicão, tem levado a cabo uma política de gestão assente na desvalorização dos salários de trabalhadores qualificados, na discriminação salarial entre profissionais a desempenhar as mesmas funções (havendo diferenças salariais superiores a 100 euros).

O sindicato, numa nota de imprensa, acusou a administração de colocar constantemente em causa as liberdades sindicais, através das tentativas de condicionamento do exercício da atividade sindical no interior da empresa. Para o SITE Norte, trata-se de uma clara atitude antidemocrática e perseguidora para com dirigentes e delegado(a)s sindicais.

Sempre que um trabalhador procura combater as injustiças de que é alvo, junto do sindicato ou até mesmo junto de outras instâncias, a empresa, através de alguns dos seus funcionários com elevado grau de responsabilidade, passa a tentar diminuir e denegrir trabalhadores, afirma o sindicato.

Perante todos estes comportamentos e perante a política do medo que tem estado a ser implementada na empresa, da administração é exigido:

- Aumento salarial mínimo de 90 euros para todos os trabalhadores;

- Fim das discriminações salariais e valorização das categorias profissionais;

- Fim da política de assédio moral, que a empresa procura alargar a todos os trabalhadores.

- Aplicação dos direitos constantes no contrato colectivo de trabalho subscrito
pela Fiequimetal e valorização da contratação colectiva.


 

Ver também
- Nota de imprensa do SITE Norte com contacto para declarações