20210118SITEsul arquivo 20200521 SinesApesar das dificuldades, acrescidas com a COVID-19, o SITE Sul reforçou em 2020 a luta contra a precariedade dos contratos de trabalho, com resultados positivos para centenas de trabalhadores.
18.1.2021


No ano de 2020, a organização e a acção, em especial a apresentação de cadernos reivindicativos, resultaram na passagem aos quadro de pessoal de cerca de 400 trabalhadores em várias empresas - refere-se numa nota de balanço, publicada pelo sindicato.

Com o apoio jurídico do SITE Sul, foi conseguida a reintegração de cinco trabalhadores nos seus postos de trabalho. Foi obtido o pagamento de mais de 160 mil euros em indemnizações a cerca de 20 trabalhadores. Deram entrada em tribunal 80 processos de contestação da precariedade do vinculo laboral, que estão a decorrer.

No ano findo, foram muitos os trabalhadores que recorreram ao SITE Sul, devido à precariedade do seu vínculo laboral. Em grande parte dos casos, o patronato que usou e abusou da desculpa da crise gerada pela pandemia, procurando justificar a quebra do vínculo laboral.

Nesta situação, o sindicato vê a consequência direta da legislação laboral em vigor e das políticas e medidas levadas a cabo pelo Governo desde o início da pandemia, as quais, devido à sua ineficiência, são por si só potenciadoras deste flagelo.

Só no âmbito do SITE Sul, o período de confinamento entre Março e Abril significou o despedimento de cerca de três mil trabalhadores.

Para que o cenário de razia de postos de trabalho, vivido em 2020, não se repita em 2021, o sindicato salienta que é necessária e urgente a implementação de medidas que efectivamente assegurem a manutenção de todos os vínculos laborais (incluindo trabalho temporário) nas empresas, em especial naquelas que usufruem ou possam vir a usufruir das medidas de apoio lançadas pelo Governo (o lay-off, a retoma progressiva, etc.) ou outras que possam vir a ser adicionadas.