20210226Hutchinson arquivoNa fábrica da Hutchinson em Portalegre já foram concretizados despedimentos de trabalhadores que se recusaram a aceitar o banco de horas e que entregaram a declaração de apoio extraordinário à família, revelou o SITE Sul.
2.3.2021

 


Mais uma vez, sublinha o sindicato, a administração da Hutchinson usa a pandemia de COVID-19 para impor bancos de horas aos trabalhadores que têm vínculo laboral precário, aproveitando a fragilidade dos contratos de trabalho e a necessidade de os trabalhadores ficarem em casa com os seus filhos, por estarem encerradas creches e escolas.

A ameaça de despedimento é colocada no caso de os trabalhadores pretenderem recorrer ao apoio excepcional à família. Além de ficarem impedidos de usufruirem deste apoio, os trabalhadores que se sujeitaram a esta imposição foram obrigados a compensar a empresa com trabalho extraordinário à borla .

O SITE SUL condenou veemente esta atitude da administração da Hutchinson e decidiu solicitar a intervenção da ACT.


Ver também
- Nota no site do SITE Sul (26.2.2021)
- Hutchinson quer propagar «doença» do banco de horas (22.3.2020)