edprevsalarial2019Ontem, na primeira reunião de negociação da tabela salarial da EDP para 2019, a comissão negociadora patronal não apresentou qualquer valor. Mas não se ficou por aí, nesta «falsa partida», como se refere num comunicado da comissão negociadora sindical da Fiequimetal.
7.2.2019

 

A CNS/Fiequimetal apresentou a proposta aprovada no Plenário Nacional de Delegados e já divulgada a todos os trabalhadores, com a respectiva fundamentação económica, que demonstra a viabilidade e justiça dos aumentos propostos.

Pretende-se, com o aumento mínimo de 50 euros, beneficiar as bases de remuneração mais baixas.

A CN/EDP, alegando que em 2018 o resultado em Portugal foi negativo, não apresentou proposta, o que é perfeitamente indigno de uma empresa que nos últimos anos tem distribuído milhões aos seus accionistas.

Os representantes patronais apresentaram também uma proposta para que desta negociação saia uma tabela salarial para dois anos.

A CNS/Fiequimetal reafirmou que não concorda, por princípio, com tabelas plurianuais, pois estas são normalmente prejudiciais para os trabalhadores, devido à dificuldade de previsão da evolução da economia.

A CN/EDP propôs, em desrespeito pelo ACT, a antecipação do pagamento do subsídio de férias para Fevereiro, tendo a CNS/Fiequimetal rejeitado essa hipótese.

A próxima reunião ficou marcada para quarta-feira, dia 13.

 

Ver também
- Comunicado da CNS/Fiequimetal aos trabalhadores das empresas do Grupo EDP
- Aumento real do rendimento reivindicado na EDP (19.1.2019) - comunicado com proposta sindical