REN SALARIOS2020A Fiequimetal propôs que a REN, no mínimo, na actualização salarial de 2020 acompanhe os valores que possibilitaram o acordo na EDP. Chega de palmadinhas nas costas é o mote para os próximos plenários de trabalhadores.
5.6.2020

 

Uma empresa com o estatuto que tem a REN, com os resultados obtidos nos últimos anos e que afirma publicamente as suas práticas de excelência, pode e deve valorizar mais os trabalhadores, e isso não se pode resumir a «palmadinhas nas costas» - afirma-se na informação sindical sobre a última reunião de negociação.

A federação reivindica que o salário de entrada na REN passe a ser de 1000 euros e que a tabela salarial dos quadros se inicie nos 1500 euros.

Exige também que os trabalhadores que se encontrem na banda salarial A do nível V e os que se encontram no nível IV, com salários actualmente até aos 1218 euros, assim como os quadros que auferem hoje salário até 1491 euros, tenham um aumento adicional que permita estreitar o leque salarial, tal como aconteceu na EDP.

Os aumentos devem ser aplicados com efeitos a janeiro de 2020, e não, como propõe a administração, uma parte a janeiro e outra a junho.

Foram ainda apresentadas propostas sobre subsídio de disponibilidade e deslocações prolongadas.


Ver também
- Informação N.º 7, sobre a reunião de 28.5.2020
- REN mantém 0,6 por cento e recusa falar de problemas (25.5.2020)