edprevsalarial2022Numa altura em que os trabalhadores sofrem um brutal ataque ao seu poder de compra, importa valorizar os seus esforços para que a EDP continue a ser uma das melhores utility companies da Europa. É urgente valorizar os salários, mas a administração opta pelo ilusionismo negocial.
29.4.2022

 

Na reunião de negociação salarial que teve lugar anteontem, dia 27, a administração alterou a sua proposta para 1,2 por cento, mas a Fiequimetal considerou este valor bastante insuficiente.

Numa informação ontem divulgada, a federação recorda os colossais lucros obtidos e os dividendos distribuídos pelo Grupo EDP.

Por outro lado, ao alegar a inflação verificada em 2021, a administração está a iludir o brutal aumento do custo de vida que recai actualmente sobre quem trabalha.

 

Resultados com luta

 

20220423AbxAssinEDP cartazMesmo parecendo difícil, outros resultados são possíveis com a luta, salienta-se no comunicado, assinalando que a greve e concentração, no dia 6, e a adesão já bastante numerosa ao abaixo-assinado «Pelo aumento salarial e pela valorização profissional a que temos direito!» contribuíram para que a administração mudasse a postura que tinha mantido nas últimas reuniões.

Para dia 3 de Maio, está convocado um plenário nacional de dirigentes e delegados sindicais, que irá debater esta proposta da administração e a posição a tomar perante a mesma.

Os trabalhadores devem transmitir o seu ponto de vista aos delegados sindicais, no seu local de trabalho.

Deve também prosseguir a subscrição do abaixo-assinado, na Internet ou junto dos delegados e dirigentes sindicais.

A unidade dos trabalhadores é indispensável para termos mais força - e o papel de cada trabalhador é fundamental para a construir, reafirma a federação.


Ver também
- Informação N.º 12 (revisão salarial, 28.4.2022)
- Informação N.º 11 (revisão salarial, 21.4.2022, Muita parra e pouca uva)
- Luta na EDP dará seguimento à expressiva greve de dia 6 (8.4.2022)