20190510EDP sede arquivoNo fim do prazo que a própria administração definiu para finalizar as negociações sobre progressões em início de carreira, a EDP nem sequer chegou a apresentar uma proposta concreta. Um protesto está marcado para dia 10.
28.6.2019

 

A postura da administração exige uma resposta firme, afirma a Fiequimetal, num comunicado aos trabalhadores das empresas do Grupo EDP. No documento, em distribuição desde ontem, a federação rejeita a atitude que a administração da EDP manteve, desde o início deste processo negocial, adiando a concretização de propostas.

A administração não honra os compromissos que assumiu nas negociações da tabela salarial e tem usado todos os estratagemas para adiar a resposta à proposta apresentada pela Fiequimetal. Fez o mesmo com a realização de sessões de apresentação sobre inquéritos da Sãvida e a avaliação de desempenho.

Ao não apresentar uma proposta, a administração está a desvalorizar o papel dos trabalhadores e das suas estruturas representativas, tentando impor uma solução feita à medida para não repor a justiça.

De promessas, a maioria delas não cumpridas, estão os trabalhadores fartos.

 

Concentração dia 10 em Lisboa

A federação apela a que seja dada uma resposta de união todos os trabalhadores, assegurando que estes não vão ficar calados nem vão admitir que os seus problemas sejam silenciados.

A Fiequimetal convocou uma concentração de protesto junto à sede da EDP, na Av. 24 de Julho, em Lisboa, no dia 10 de Julho, pelas 14 horas.

 

Ver também
- Comunicado aos trabalhadores das empresas do Grupo EDP
- EDP não quer respeitar compromisso sobre progressões (21.6.2019)