edprevsalarial2021A Fiequimetal e os sindicatos vão colocar aos trabalhadores das empresas do Grupo EDP propostas concretas de actuação, para responder à afronta da «proposta zero» e para que a administração perceba que os trabalhadores não abdicam do direito a aumentos salariais e da resolução de outras matérias pendentes.
13.3.2021

 

A decisão consta no comunicado divulgado após a última reunião plenária de negociação salarial, no dia 10, na qual a comissão negociadora sindical (CNS) da Fiequimetal repudiou, firmemente, a atitude da administração. Esta não alterou a sua proposta de zero por cento, ou seja, nada, em todas as matérias.

A CNS não aceita que a administração tente vender a teoria de que sem inflação não há aumentos e salienta que a valorização dos trabalhadores passa pelo reconhecimento profissional e por aumentos correspondentes ao valor que criam, cada vez mais.

 

20210310E Redes POACPOAC

Quanto ao designado POAC-RD (Plano Operacional de Actuação em Crise – Redes de Distribuição), a federação recorda que desencadeou há muito tempo a contestação à actuação da administração, que decidiu passar a convocar os trabalhadores para uma «prevenção» que não tem figura aplicável no Acordo Colectivo de Trabalho e, por isso, sem qualquer enquadramento compensatório.

É imperioso que a administração respeite os trabalhadores da E-Redes (nova designação da EDP Distribuição), e que, quando resolver activar o «POAC», garanta as compensações económicas a serem aplicadas, negociando com os sindicatos os valores. Deve também contar com o acordo dos trabalhadores, de forma a que seja justo para quem põe a sua disponibilidade ao serviço da empresa.


Ver também
- Informação 7 (revisão salarial) aos trabalhadores das empresas do Grupo EDP (11.3.2021)
- Administração da EDP mantém postura vergonhosa (4.3.2021)
- Lucros da EDP desmentem cenário para zero por cento (28.2.2021)
- E-Redes inventa «POAC» para não cumprir o ACT (25.2.2021)