20200407Petrogal arquivoComo o primeiro-ministro e o Presidente da República persistem em fugir às suas responsabilidades, recusando-se a intervir para inverter a intenção de encerramento da refinaria da Petrogal em Matosinhos, foi decidida uma nova acção de luta para dia 18, quinta-feira, em Lisboa.
15.3.2021


A Comissão Sindical Nacional (CSN) da Fiequimetal na Petrogal (SITE Norte, SITE CSRA e SITE Sul) anunciou, em comunicado aos trabalhadores, a realização de dois momentos de protesto:

- às 10h30, junto da residência oficial do primeiro-ministro;
- às 12h00, frente à residência oficial do Presidente da República.

A decisão foi tomada pela CSN, depois de fazer o ponto de situação da luta desenvolvida e a desenvolver, em defesa da continuidade da refinaria, do emprego com direitos e da economia regional e nacional.

Acerca de propostas apresentadas pela empresa individualmente aos trabalhadores, tendo em vista a rescisão dos contratos de trabalho, a CSN reafirmou que o caminho é a continuidade da luta, pois só dessa forma se poderá levar de vencida estes «abutres financeiros» que, «à pala» do tema ambiental, pretendem continuar a destruir uma indústria estratégica para a Região Norte e para o País e, consequentemente, aniquilando milhares de postos de trabalho, lançando mais famílias na pobreza.

A CSN saudou, uma vez mais, os trabalhadores pela sua determinação e participação empenhada nas várias acções de luta levadas a cabo nos últimos meses.

No primeiro momento desta acção, de âmbito nacional, participa a secretária-geral da CGTP-IN, Isabel Camarinha.

 

Ver também
- Comunicado aos trabalhadores da Petrogal (Grupo Galp Energia)
- PR recusa competências sobre futuro da refinaria (17.2.2021)