edprevsalarial2019Na reunião de ontem, a comissão negociadora sindical da Fiequimetal exigiu uma proposta credível para continuar a negociação da tabela salarial para 2019. Os representantes da administração começaram com 0,3 por cento e quiseram fechar em 0,4 por cento, o que foi prontamente rejeitado.
7.3.2019


Quando a comissão negociadora da EDP alterou a sua proposta para 0,4 por cento, a CNS/Fiequimetal respondeu com a alteração da proposta sindical para 3,5 por cento, mantendo como mínimo um aumento de 50 euros. Mostrou assim que pretende alcançar um acordo rápido, mas justo para todos os trabalhadores, como se refere no comunicado que a rede sindical colocou em distribuição ainda ontem, poucas horas depois da reunião.

A CN/EDP pretendeu apresentar a sua proposta como valor para fecho de negociações, mas a CNS/Fiequimetal retorquiu que o valor é manifestamente insuficiente para ser considerado como proposta final.

Não se pode aceitar a imposição de valores que levariam os trabalhadores a perderem poder de compra.

Numa tabela, reproduzida no comunicado, mostra-se a diferença actual entre as propostas da empresa e da Fiequimetal, para que melhor se perceba o que está efectivamente em cima da mesa.

A CNS/Fiequimetal volta a questionar quais são, afinal, os números finais que a empresa tem em mente e que entende refletirem a mais-valia criada pelos trabalhadores.


Ver também
- Informação 6 da CNS/Fiequimetal (6.3.2019)
- Informação 5 da CNS/Fiequimetal (5.3.2019)
- Informação 4 da CNS/Fiequimetal (28.2.2019)
- Informação 3 da CNS/Fiequimetal (20.2.2019)
- Informação 2 da CNS/Fiequimetal (13.2.2019)
- Propostas da EDP demonstrarão se finge ou não (2.3.2019)